Você está em:

3 tendências em ar-condicionado residencial para os próximos anos


O ar-condicionado é um equipamento que passou por atualizações constantes desde o seu surgimento em 1902. Acompanhando a tecnologia, ele se tornou mais potente e mais econômico, mas também mais decorativo e acessível para o bolso.  As tendências em ar condicionado para os próximos anos seguem uma preocupação mundial, principalmente com o meio ambiente e com a economia. A saúde também é uma temática forte nessa lista.

Vale lembrar que tendência é uma predisposição a seguir alguma coisa. Porém, é mais do que uma previsão de algo que possa vir a ocorrer no futuro. É um trabalho constante e feito mundialmente por especialistas que leva em consideração não apenas o consumo, mas o atual comportamento das pessoas em relação ao meio em que vivem.

Selecionamos algumas tendências em condicionador de ar que fazem ou farão parte dos projetos de pesquisa de muitos fabricantes nos próximos anos. Confira:

O que esperar do ar-condicionado nos próximos anos?
 

1. Preocupação com o meio ambiente: uso do gás ecológico R410A

O efeito estufa é um fenômeno natural de aquecimento da Terra e imprescindível para manter a temperatura em boas condições de sobrevivência. Se ele não existisse, o planeta seria muito frio. Porém, de uns tempos para cá, ele tem preocupado os ambientalistas do mundo todo. É que as ações humanas têm emitido excessivos gases do efeito estufa na atmosfera (como CFC ou CO2), causando o aquecimento global.

O uso excessivo de gases prejudiciais ao meio ambiente também interfere na Camada de Ozônio -  uma espécie de proteção para o planeta Terra absorvendo a radiação emitida pelo sol. Com o tempo esses gases tornaram a camada mais fina, o que chamamos hoje de Buraco na Camada de Ozônio.

Por essas razões que o ar-condicionado dos próximos anos tende a ser menos prejudicial ao meio ambiente, começando pela troca dos fluídos refrigerantes prejudiciais pelo gás ecológico R410A

2. Mais economia de energia: tecnologia Inverter

Economizar energia elétrica com o uso do ar-condicionado também é uma preocupação mundial. Além de afetar o meio ambiente, o uso excessivo prejudica o bolso. Para se ter uma ideia, um estudo publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences diz que em 2040 o uso de condicionadores de ar, em regiões de clima quente, resultará em um aumento de 64% no consumo de energia elétrica e um acréscimo anual de 23,1 milhões de toneladas de dióxido de carbono.

Por conta disso a tendência é que os aparelhos de ar condicionado possuam tecnologia Inverter, que chega a economizar até 40% a mais de energia elétrica se comparado aos equipamentos convencionais.

3. Preocupação com a saúde: filtros diferenciados

A saúde é uma preocupação constante do consumidor de condicionador de ar. O mito de que o ar-condicionado poderia fazer mal, inclusive para crianças, já não existe mais. Pelo contrário, ele é um produto que contribui com o bem-estar e automaticamente com a saúde de todos. Os filtros tendem a seguir nessa linha.

Os filtros antipoeira e antibactérias já estão sendo utilizados no mercado e ajudam quem sofre com alergias, já os filtros de vitamina C, conhecida pelos inúmeros benefícios à saúde, liberam o nutriente no ar para ser absorvido pela pele.

As tendências contribuem para que você possa planejar a compra do seu próximo ar-condicionado da melhor forma. Qual delas você achou mais interessante? Conte para a gente nos comentários!